Os Esquilos entram na era digital

Até ontem, os clientes do restaurante Os Esquilos, na Floresta da Tijuca, precisavam pagar a conta em dinheiro ou cheque (!!!), mas hoje a maquininha de débito ou crédito chegou ao estabelecimento e os clientes adoraram

IMG_3572.jpg

“Grande novidade – estamos aceitando cartões de crédito e débito – mínimo 50,00”, diz um quadrinho na entrada do aconchegante restaurante Os Esquilos, na Floresta da Tijuca. Pode parecer que a novidade não seja tão grande assim para um restaurante comum, em plena era digital, mas a verdade é que a tecnologia do terceiro milênio é sim uma novidade na floresta.

A Floresta da Tijuca é uma área federal de preservação ambiental localizada dentro do Parque Nacional da Tijuca. O Parque tem quase 4 mil hectares e 40 km² de extensão. A Floresta fica cravada bem no coração do Rio e o restaurante Os Esquilos ocupa, desde 1945, um terreno modesto, considerando as proporções da maior floresta urbana da América Latina. Além da visita frequente de esquilos, quatis, tamanduás e diversos seres vivos silvestres que fazem os clientes amar o clima fresquinho, o restaurante é frequentado por cariocas fiéis que trazem amigos de outras cidades, outros estados e até de outros países, para desfrutar algumas horas de um lugar único, onde a natureza é uma entidade divina.

IMG_3551.jpg

Ao longo das décadas, a comida de ótima qualidade por preços que não são salgados fidelizou uma clientela de bom gosto, que guarda memória afetiva da charmosa casa colonial que convive bem com a natureza. Entretanto, por 30 anos, foi preciso pagar a conta em dinheiro ou cheque (sim, cheque!!!). A partir deste sábado (06/01), as maquininhas de cartão começaram a arrecadar novas perspectivas para o futuro da casa.

“As pessoas não entendiam por que um lugar que fica a 20 minutos da Tijuca, a 20 minutos da Barra e a 20 minutos de São Conrado não tem sinal de celular. Então, para a gente explicar isso para os clientes era muito difícil”, conta Luiz Eduardo de Souza, gerente do restaurante. Há algum tempo, o estabelecimento dependia de uma linha de telefone para receber os pagamentos com cartão, mas a linha passava mais tempo sem funcionar que funcionando. Com a evolução das operadoras de cartões para a maquininha digital, não foi mais possível receber as contas a crédito.

“As pessoas se debruçavam aqui e perguntavam: mas qualquer lugar tem cartão de crédito e aqui não tem. E a gente explicava que era por falta de sinal. No mês de janeiro tem muito turista, muito estrangeiro por aqui e a gente pecava muito por não ter o cartão”, avalia Luiz Eduardo. A ideia de aproveitar o desenvolvimento tecnológico digital para buscar uma alternativa começou a ganhar peso nos planos dos gestores de Os Esquilos. Há pouco mais de dois meses, eles deram um passo importante. “Instalamos uma antena de uma empresa que opera em zonas rurais e [ela] ficou em experiência uns 30 dias, captando alguns sinais para a gente ver”, complementa.

IMG_3575

O primeiro passo foi o computador. Por uma exigência da Secretaria de Fazenda, o restaurante teve de se adaptar para a emissão da nota fiscal eletrônica. Com a chegada da internet, o cartão passou a ser o novo desafio. “No dia 2 de janeiro, nós começamos a passar o cartão de crédito e débito dos clientes mais assíduos, que a gente já conhecia, porque eventualmente, num determinado posicionamento da mesa, ele não passava. O técnico da antena veio, fez alguns ajustes e agora, dia 6 de janeiro, ela está passando em todas as mesas”, diz Luiz Eduardo com um sorriso largo e aliviado no rosto. “Assim é bom que a gente não vai apanhar mais!”, brinca o gerente soltando uma risada.

A tecnologia digital dos cartões tirou um peso das costas de Luiz Eduardo. Perguntado se os clientes reclamavam, ele responde com um suspiro profundo: “Demais, demais, demais, demais! E tinha aqueles que, apesar de a gente ter várias placas informando isso, tinha aqueles que comiam, almoçavam, e não tinham o dinheiro depois para pagar a conta. Mas isso nunca foi problema, porque a gente educadamente passava os dados da conta do banco e eles depositavam depois. Para falar a verdade, a gente não lembra de ter tomado nenhum cano. Todos pagaram direitinho. Demoraram ou não, mas pagaram”, revela Luiz.

IMG_3574

Contudo, o problema não eram exatamente os calotes. Às vezes, o cliente desejava desfrutar dos benefícios do cartão de crédito e pagar a conta apenas no mês seguinte, através da fatura. “O crédito a gente já viu que vai ser muito mais municiado que o débito. Às vezes a pessoa tem 30, 35 e até 40 dias para pagar. Além dos mais, a gente falava ‘a gente aceita cheque’, mas a maioria dos clientes falava ‘não sei mais o que é isso’. Ninguém anda mais com cheque e ficam com medo, na situação do Rio de Janeiro, de andar com dinheiro no bolso. Agora, graças a Deus, está resolvido o problema!”, comemora o gerente.

No primeiro dia com a maquininha, o restaurante Os Esquilos havia recolhido o pagamento de 61 contas de clientes. Destas, apenas duas haviam sido em dinheiro e as demais foram através de pagamento com cartão. “Todos com sorrisos nos lábios. Nunca tivemos tantos elogios”, revela o simpático gerente com dificuldade em conter seu entusiasmo. Não é por menos, os gestores já haviam tentado fibra ótica e outras tecnologias. Houve um técnico de telefonia celular que os aconselhou levar os clientes 50 metros por uma trilha acima do restaurante para pegar o sinal de telefonia móvel com a maquininha. Em novembro, chegou a novidade da antena e hoje a expectativa é de que os negócios melhorem.

IMG_3573

“Isso tudo vai repercutir em mais negócios. Acho que o movimento vai melhorar, sim. Em tempos de crise é uma mão na roda, né! Vamos esperar os próximos dias. Tem muita gente viajando ainda em janeiro e vamos esperar que os cartões venham. O crédito demora 30 dias [para ser pago pela operadora ao restaurante], mas está bom demais! Só ter o sorriso do cliente já é uma maravilha”, avalia.

Pode parecer incrível que, no coração do Rio, um restaurante muito conhecido e admirado pelos cariocas tivesse tamanha dificuldade para desfrutar da telefonia móvel para incrementar seu negócio, mas essa realidade é vivida por muitos outros empresários em todo o país.

Jornalista Cláudio Tostes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s