Ataque no Afeganistão contra ONG ‘Save the Children’ deixa cinco mortos e dezenas de feridos

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou estar “chocado” e “profundamente entristecido” pelo ataque aos escritórios da ONG internacional “Save the Children” em Jalalabad, no Afeganistão. Na semana passada, Conselho de Segurança debateu paz e segurança no país da Ásia Central.

António Guterres nos arredores de Cabul em junho de 2017. Foto: UNAMA

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou estar “chocado” e “profundamente entristecido” pelo ataque aos escritórios da ONG internacional “Save the Children” em Jalalabad, no Afeganistão.

O atentado deixou pelo menos cinco pessoas mortas e feriu dezenas – incluindo crianças –, de acordo com relatórios iniciais. “Ele expressa seu profundo pesar para as famílias das vítimas”, disse o porta-voz de Guterres na nota.

“As organizações humanitárias fornecem assistência vital a homens, mulheres e crianças mais vulneráveis no Afeganistão. Trabalhadores de ajuda humanitária, e suas instalações e ativos, nunca devem ser alvo”, completou a nota.

O secretário-geral acrescentou que todas as partes no conflito no Afeganistão são obrigadas, de acordo com o direito internacional, a proteger trabalhadores humanitários e pessoas comuns.

Conselho de Segurança debateu como promover avanços no país

Na sexta-feira (19), o Conselho de Segurança debateu a consolidação de parcerias regionais no Afeganistão e na Ásia Central para conectar a segurança ao desenvolvimento.

Falando na reunião, o secretário-geral revelou três posições que foram reforçadas pela sua visita à região em junho de 2017.

António Guterres disse que, em primeiro lugar, deve haver novos esforços para gerir melhor os recursos hídricos, fundamentais para o desenvolvimento econômico na região.

Em segundo lugar, o chefe da ONU revelou ter ficado encorajado pelos desenvolvimentos positivos na cooperação energética, essencial para promover o desenvolvimento e a segurança.

Por último, ele destacou que o aumento do comércio é um pré-requisito para o crescimento e para o desenvolvimento sustentável, além de construir a resiliência aos choques econômicos externos.

António Guterres disse que, em primeiro lugar, deve haver novos esforços para gerir melhor os recursos hídricos. Foto: ONU/Manuel Elias

Guterres revelou ainda que ficou motivado com o aumento da cooperação multilateral que testemunhou, em particular quanto aos esforços para coordenar melhor os recursos hídricos, a energia e impulsionar o comércio.

No entanto, disse ter observado que continuam os desafios de segurança, particularmente no Afeganistão.

Por isso, o secretário-geral enfatizou que o combate ao extremismo violento, ao terrorismo e ao crime organizado transnacional no país tem implicações em toda a região e no mundo.

Guterres destacou no Conselho de Segurança que a responsabilidade de resposta a essas questões não deve ser somente do governo afegão e reiterou que a ONU está disponível para ajudar a promover uma maior cooperação regional.

Para Guterres, os contatos diretos que o comércio permite na região também podem ajudar a desfazer as barreiras informais e aumentar a confiança.

A sugestão do secretário-geral é que novas iniciativas da sociedade civil unam as comunidades em seus países, incluindo grupos de mulheres mediadoras das tensões locais e a criação de projetos conjuntos de infraestrutura.

Guterres reiterou ainda que a ONU está pronta para ajudar a promover uma maior cooperação e integração entre os países da Ásia Central e o Afeganistão em prol da paz, do desenvolvimento sustentável, da estabilidade e da segurança.

Fonte: ONU News, de Nova Iorque

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s